quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Pequeno Perfil do Cidadão de Bem


Toda vez que alguém menciona "Os políticos" diz claramente que está tirando sua responsabilidade diária da reta e colocando em outro. Ele externaliza que delegou não só seu poder, mas sua honra, sua responsabilidade, sua verdade. Esse sujeito em geral não vê suas corrupções diárias, seus estacionamentos em lugares proibidos, sua opressão sobre a mulher, filhas, alunos, irmãos, mãe, pobres ao redor, negros, gays.

Esse é o cidadão de bem, que elegeu a terceirização do mal como meio de vida, e continua alimentando o mal travestido de "políticos" via voto e no dia a dia via comportamento, mas este ele se nega a ver, já que tem os "políticos" pra receberem a culpa de suas mazelas.



O cidadão de bem nunca vota no que ele classifica como "politico", estes são elencados a deputados, vereadores e governadores pelo além. O Cidadão de Bem, estaciona na esquina, atravanca a passagem de idosos, crianças e doentes porque "é rapidinho!". O Cidadão de bem avança o sinal porque "Está com pressa". Ele anda com cachorro feroz orgulhoso porque "precisa se proteger". Ele apoia a violência da PM, porque "é preciso proteger a cidade e a propriedade". Ele é contra política de redução da miséria porque "estão usando meu dinheiro , não pago impostos para alimentar vagabundo". Ele apoia políticas de  veto a direitos da mulher como o aborto, e a direitos civis de homossexuais, política de cotas porque se "liberar o aborto as vagabundas vão dar e não vão querer a responsabilidade e vai tudo abortar", ou "Vão ensinar nossos filhos a serem gays" ou "Todo mundo tem de estudar pra passar na universidade, não é justo privilégios".

O Cidadão de bem jamais é racista porque "tem muitos amigos negros", nem tampouco homofóbico porque "tem muitos amigos gays", ele só não cita que em geral os amigos gays tem de rir de serem chamados de viadinho a cada dez minutos e os amigos negros em geral serem colegas de trabalho ou empregadas ou filhos das empregadas com os quais ele não teve muita escolha de convivência, mas aqueles amigos do peito mesmo em geral são brancos e heterossexuais.

O Cidadão de bem jamais é machista porque "trata muito bem as mulheres" e é "filho e marido". Ele só faz o possível pro seu filho fazer coisas "De homem", faz pouco pra ajudar a esposa ou mãe nos serviços domésticos porque isso é coisa de mulher, acha que a mulher tem de se esforçar pra ser bela e gostosa pra ele (O inverso nunca).

O Cidadão de bem não é machista, mas acha que mulher é histérica no trabalho porque vive de TPM, que mulher não segura a pressão (Sabe? são os hormônios!), que mulher não é boa chefe porque tem de se preocupar com os filhos, que é "difícil entender as mulheres".

O Cidadão de Bem é alguém muito preocupado com o futuro, ele pensa nisso todo dia andando com seu carro que queima litros de combustível fóssil que ajuda a agravar o efeito estufa, ele discute isso com os amigos no almoço enquanto joga papel no chão ou quando elogia a destruição do código Florestal porque "Esses ambientalistas estão querendo atravancar o progresso do Brasil". O Cidadão de bem tem medo do que as novas gerações farão do futuro enquanto elogia Belo Monte que vai tirar aquele antro incivilizado de índios nômades do caminho pra um Brasil que, finalmente, ocupa seu lugar no mundo.

O Cidadão de  Bem acha que a Argentina é um lixo, que o Uruguai é aquele pais que nos derrotou em 1950, que a Bolívia tinha de ser invadida porque "ousou nos roubar nosso gás natural", que o Paraguai é onde compra muamba, que a Venezuela é governada por um "Ditador Sanguinário com cara de porteiro de boate" e que o Chile sim é um país civilizado porque o Pinochet fez o trabalho dele.




O Cidadão de Bem acha que maconheiro é tudo vagabundo e que tem de tomar porrada da PM, ele não gosta da PM, mas gosta menos ainda dos maconheiros vagabundos e filhinhos de papai que estudam nas universidades, ele só não acha isso quando seu filho passa no vestibular depois de ter cursado um cursinho caro.

O Cidadão de bem se preocupa com a ordem, ele quer que exista muita ordem, a ordem que ele precisa obedecer, senão ele fica perdido. Ele foi ensinado a obedecer a ordem, a  esperar a ordem,  a  pensar sob uma ordem que nunca existe porque muitos atrapalham a constituição e manutenção dessa ordem. A ordem garante um "futuro melhor". 

O Cidadão de bem se preocupa demais com a ordem e com o futuro e faz pouco pra construir essa ordem e esse futuro porque é "muito ocupado", por isso aceita que façam por ele, o problema é que muitas vezes ambos são feitos com coturno.

9 comentários:

  1. engraçado a sua hipocrisia: aqui discursinho tolerante e pluralista. porém vários tweets destila descarada homofobia,como no que reproduzo abaixo:
    ". @XXXXXXXXX Eu tenho uma teoria, e por isso eu sei, que todo reaça patola. Especialmente em banheiros publicos"

    o denemérito do reacionário é ser gay, caro gilson? é ter um comportamento moralmente reprovável dentro de um padrão hetero normativo?

    preconceituoso e hipócrita é o que vc é.

    porco homofóbico, da pior especie, pois se mascara de libertário. Vc acha que fala do fascismo como algo exterior a vc? vc é um grande fascista e se dizer extrema esquerda e outras sandices não muda nada.

    Você é asqueroso.

    ResponderExcluir
  2. Acima um exemplar clássico do Cidadão de Bem, protegido pelo anonimato, externando sua "coragem" e seu método interessante de "debate".

    Legal a interpretação do cara dos tuites tb, vamos acompanhar o desenvolvimento,quem sabe dai saem mais verdades interessantes para compor a trama da revelação do Cidadão de Bem.

    Notem a classificação do tuíte como afirmação do demérito em ser gay.. "Tu o dizes" caberia perfeitamente. Até porque não reprovei comportamento patolador nenhum.

    Talvez eu seja asqueiroso mesmo, a mim não parece, mas quem sabe? Eu como autor de discursinho "Tolerante e Pluralista" (SIC) entendo literalmente que o cara pode me achar asqueiroso numa boa, até publicamente.

    Mas seria de bom tom ter a coragem de assinar a pérola acima.

    De resto fica apenas a frustração do sujeito não perder nem um átimo de segundo batendo no texto, o que talvez seria útil pra tirar a qualidade dele, dos argumentos, mas partiu diretamente pro ataque ad hominem.

    ResponderExcluir
  3. Ah, só pra acrescentar, ainda acho que todo reaça patola, especialmente em banheiros públicos..

    O Demérito não é patolar, mas ser reaça e atacar gays enquanto agarra picas banheiros afora.. Legal perceber o quanto a rapaziada morde a isca.

    ResponderExcluir
  4. Uma modinha reaça recente é acusar o outro do que ele é. Tenho visto isso por aí. Reaçotes aprenderam palavras como "fascista", "homofóbico" e a tática agora é mostrar que tudo é fascista, racista e homofóbico, logo nada é. Esse aí passou de fase: aprendeu a falar "hetero normativo", o que já é um termo com duas palavras.

    Engraçado que precisa, sei lá, uns 10 segundos pra chegar ao entendimento de que o assunto do tuíte é a hipocrisia do homofóbico. Só que esse "anônimo" já tem alguma predisposição e não tá interessado em entendimento nenhum.

    ResponderExcluir
  5. É, Timoneiro... exatamente isso. Mas é aquilo, o legal disso é que quem precisa se ocultar não sou eu...

    ResponderExcluir
  6. Então eu serei um cidadão do mal.

    ResponderExcluir
  7. Gente, qual o problema de se identificar? que cagaço é esse?

    ResponderExcluir
  8. Não pode ser só um cidadão, simplesmente?

    ResponderExcluir

Trasversalize