quarta-feira, 24 de agosto de 2011

PSOL: Não dá mais pra segurar

Não sou exatamente o mais paciente dos homens, muito menos o mais adorável e tolerante. Mesmo assim tento ao máximo ser um sujeito que prima pela democracia, mesmo que seja pelo sagrado direito de tomar rodo , ser minoria, mas com direito a voz, voto, postura pública.

Sai do PT em 2004 para entrar no PSOL e tentar manter bandeiras da esquerda jogadas no lixo pelo Partido de Lula e Dilma. Desde o inicio mantive criticas junto com os companheiros do partido, do Revolutas e outras correntes à ótica moralista, udenista, eleitoreira de parte do PSOL e às constantes falhas na construção de um partido com instancias democráticas em pleno funcionamento. 

A cada ano ficava mais claro que o partido havia majoritariamente optado por uma condução totalmente anti-democrática dos processos decisórios internos.A opção pela aliança com Marina Silva foi derrotada em 2010 com enormes feridas abertas pela rebelião que levou à candidatura Plínio de Arruda Sampaio ser um sopro de força ideológica, juventude, animo, mas também uma vitória de Pirro.

As feridas jamais foram fechadas e hoje se sabe que os esforços da ala derrotada em 2010 para tomar a condução no partido de suas concepções de partido jamais cessaram, outras forças ligadas à idéia da militância como um apêndice de figuras públicas se aliaram com elas e dai a gente tem um surto de filiações como a de Fred Kholer (barrada pela executiva estadual do Rio de Janeiro) e de Paulo Pinheiro, ex-PPS e apoiador de Gabeira, Denise Frossard e Cesar Maia, Serra e Marina Silva, aprovada com ampla maioria ontem na reunião da executiva estadual do Rio de Janeiro.

Sou membro do coletivo Revolutas, que faz parte do PSOL, e me identifico inteiramente com o que o coletivo tem como linha ideológica, contribuição política, mas não nais me identifico com o que vejo no Partido Socialismo e Liberdade. Não posso ser companheiro de quem apoiou defensores de "choques de capitalismo" e atitudes higienistas como as de Cesar Maia e Denise Frossard. Paulo Pinheiro politicamente representa o pior. Paulo Pinheiro é a antítese do socialismo. A opção do PSOL por Paulo Pinheiro é um tiro na cabeça e mais do que um sinal, é um aviuso: Nosso foco é a eleição e faremos tudo por ela.

Diante desta posição, sendo ela mais uma em meio à inúmeras outras que só confirmam um processo de burocratização eleitoreira avançadíssimo e com cada vez menso espaços de manobra para um partido de esquerda, socialista,anti-capitalista e literalmente democrático, tomo a decisão de me retirar do PSOL de forma pública.

Direciono minha militância pra fora do partido, no ajudar ao Revolutas a se construir, no ajudar ao comitê popular da copa no que for possível, ao Diário Liberdade, às lutas como as levadas pelos companheiros Jorge Borges e Alvaro Neiva e às  lutas da ANT.

Ao foco eleitoreiro que aceita os Paulos Pinheiros desejo boa sorte.

Boa sorte, mas sem a minha ajuda.

Um comentário:

  1. Parabéns pela decisão, camarada!
    Saudações socialistas, Thiago (PSTU).

    ResponderExcluir

Trasversalize